Terapia Ocupacional e o movimento de artes e ofícios: uma proposta ontológica do fazer artesanal
NAGIOS: RODERIC FUNCIONANDO

Terapia Ocupacional e o movimento de artes e ofícios: uma proposta ontológica do fazer artesanal

DSpace Repository

Terapia Ocupacional e o movimento de artes e ofícios: uma proposta ontológica do fazer artesanal

Show simple item record

dc.contributor.author Valadares Souza, Geruza
dc.contributor.author Almeida, M. V. M.
dc.date.accessioned 2021-05-05T08:12:04Z
dc.date.available 2021-05-06T04:45:07Z
dc.date.issued 2019 es_ES
dc.identifier.uri https://hdl.handle.net/10550/79143
dc.description.abstract A experiência na clínica com oficinas de criação, concomitante ao trabalho na docência nos cursos de terapia ocupacional, nos permitiu a articulação, de ordem teórica e prática, do uso de atividades manuais em terapia ocupacional. Com o objetivo de pesquisar os discursos/práticas que produzem uma visão de desvalorização das atividades manuais e que operam a dominação e captura de subjetividades através do imperativo capitalista de produção, adotamos a metodologia genealógica de Foucault – que consiste na análise histórica de saberes e práticas – para investigar as condições de possibilidades que promoveram a desvalorização do fazer manual e a consequente dissociação entre este e o fazer intelectual. Acreditamos que a terapia ocupacional, por ter como principal ferramenta a atividade, possa contribuir para a análise do uso das atividades artesanais sob a perspectiva histórico-política do fazer manual, como dispositivo que promova a autonomia e a inclusão social. Com o objetivo de realizar a análise do trabalho como ontologia, encontramos no Movimento de Artes e Ofícios (MAO) pressupostos para pensar outras relações do sujeito com o trabalho e o fazer manual. A proposta do MAO consistiu em valorizar o fazer artesanal como alternativa ao trabalho mecânico e estereotipado da era industrial que empobrecia as experiências do homem em suas ações cotidianas. Entendemos que a pesquisa sobre a atividade artesanal, a partir da concepção do MAO, permite ampliar os conhecimentos da terapia ocupacional sobre a relação do homem com o fazer, assim como, contribuir para análises mais potentes acerca do fazer manual. es_ES
dc.language.iso other es_ES
dc.relation.ispartofseries Saberes e competências em fisioterapia e terapia ocupacional 2;
dc.source Valadares Souza, G; Almeida, M. V. M. (2019). Terapia Ocupacional e o movimento de artes e ofícios: uma proposta ontológica do fazer artesanal. In: Saberes e competências em fisioterapia e terapia ocupacional 2. Organizadora Anelice Calixto Ruh (2). Ponta Grossa: Atena Editora. es_ES
dc.subject terapia ocupacional es_ES
dc.subject saúde mental es_ES
dc.subject artes e ofícios es_ES
dc.subject oficinas de criação es_ES
dc.subject fazer artesanal es_ES
dc.title Terapia Ocupacional e o movimento de artes e ofícios: uma proposta ontológica do fazer artesanal es_ES
dc.type info:eu-repo/semantics/bookPart es_ES
dc.subject.unesco UNESCO::PSICOLOGÍA::Asesoramiento y orientación ::Asesoramiento y orientación educacional es_ES
dc.identifier.doi https:/doi.org/10.22533/at.ed.7191910077 es_ES
dc.description.abstractenglish Experience in clinical with workshops, concurrent to work in the occupational therapy course teaching, allowed us the articulation of theoretical and practical, of using manual activities in occupational therapy. In order to search the speeches/ practices that guide a vision of devaluation of manual activities and operating domination and capture subjectivities through the imperative capitalist production, we adopt the genealogical methodology Foucault - that is the historical analysis of knowledge and practices - to investigate the conditions of possibilities that promoted the devaluation of the manual making and the consequent dissociation between this and the intellectual do. We believe that occupational therapy, having as main tool the activity, may contribute to the analysis of the use of manual activities under the historical-political perspective of doing manual as a device to promote autonomy and social inclusion. In order to perform the analysis of work as ontology, we find in the Arts and Crafts Movement (MAO) assumptions to think other relations of the subject with the work and do manual. MAO proposal was to value the craft making as an alternative to mechanical and stereotypical work of the industrial era that impoverished the experiences of man in their daily actions. We understand that research on artisanal activity from the design of MAO, allow expand the knowledge of occupational therapy on the relation of man to do as well as contribute to more powerful analysis about making manual. es_ES
dc.accrualMethod - es_ES
dc.embargo.terms 0 days es_ES

View       (1.735Mb)

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace

Advanced Search

Browse

Statistics